João Lourenço afirma que só há emempelistas

João Lourenço, o vice-presidente do MPLA, fez um intervalo nas suas funções de chefe de Estado para garantir que a ideia dos “supostos eduardistas e lourencistas” não passa de um mito, o que existe, apenas, são militantes do MPLA.

282
COMPARTILHE

O Presidente da República e vice-presidente do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), João Lourenço, aproveitou o fim-de-semana para esclarecer que não existe divisão no partido do poder em Angola.

Os “supostos eduardistas e lourencistas” não existem, o que existe, garante, são apenas militatens do MPLA. “Isso não existe no nosso seio, só há emempelistas, porque todos defendemos o MPLA e as suas causas. Só há patriotas angolanos, porque todos defendemos a causa de Angola e dos angolanos”, afirmou João Lourenço na abertura II Reunião Metodológica Nacional sobre a Organização do Trabalho do Partido.

A “ideia criada e difundida” em alguns círculos da sociedade angolana com o objetivo de “dividir” os militantes do partido, não passa, nas palavras de Presidente disso mesmo. Acrescentando que nada disto é novo, até porque o “MPLA enfrentou e ultrapassou momentos difíceis. Em alguns casos teve cisões que o enfraqueceram, mas soube sempre evitar consequências piores”. O importante, sublinhou, é que a união do partido seja preservada, o que “é uma preocupação que deve ser permanente, porque acredito que, dentro e fora, sempre houve quem estivesse interessado em corroer o partido, para que não cumpra com a sua missão histórica”.

De uma forma ou de outra, e até porque partilha do protagonismo com o presidente do partido, há um debate que o Presidente da República não consegue evitar: a bicefalia no partido, logo, e ainda, no país.

E nesse contexto, é natural que todas as notícias que geram as reuniões do bureau político do comité central do MPLA estejam sujeitas, natural ou supostamente, as várias leituras e interpretações.

 

 

COMPARTILHE