Greve dos oficiais de justiça chega ao fim

Caso o Governo angolano não responda em 90 dias às reivindicações, de aumento salarial e promoções, o Sindicato dos Oficiais de Justiça de Angola ameaça realizar uma nova greve em agosto

66
COMPARTILHE

O secretário-geral do sindicato, Lázaro Binjola, afirmou durante uma conferência de imprensa relativa ao final da primeira fase da greve nacional, de cinco dias, que encerrou esta sexta-feira que “em nome do secretariado nacional do SOJA, declaramos suspensa a greve, dando moratória de 90 dias ao executivo. Assim, na eventualidade de não se efetivar, até ao dia 28 de agosto de 2018 avançaremos para a segunda fase de duas semanas sem serviços mínimos a partir de 29 de agosto de 2018”, disse.

A greve teve início na segunda-feira e paralisou diversos serviços como: emissão de bilhetes de identidade, cédula pessoal, registo de nascimento, emissão de registo criminal, casamentos, julgamentos e demais diligências, estando apenas funcionais serviços de registos de óbitos, segundo o Observador.

De acordo com o sindicalista, dos onze pontos que constam no caderno reivindicativo, o ponto de desacordo é o facto de as partes não terem chegado a acordo sobre a promoção da metade dos 5.572 oficiais de justiça aptos para o efeito. “Não foi possível assinar o acordo em virtude de o Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos não ter assumido o compromisso para a promoção de 2.786 oficiais de justiça que não abrangiam a primeira fase”, sustentou.