Angola no Conselho Económico e Social da ONU

Angola foi eleita membro do Conselho Económico e Social (ECOSOC) das Nações Unidas para um mandato de três anos (2019-2021), com início no dia 1 de Janeiro do próximo ano. 

10
COMPARTILHE

Com 183 votos a favor, de um total de 187 Estados Membros da  Assembleia Geral das Nações Unidas presentes na votação, Angola, cuja delegação foi chefiada pela Representante Permanente junto da ONU, embaixadora Maria de Jesus Ferreira, obteve um resultado dignificante, tendo sido superado apenas pelo Quénia, que recebeu 184 votos.

A última vez que Angola esteve no Conselho Económico e Social foi no período 2006-2008, refere em nota dos serviços de imprensa da Missão Permanente da República de Angola junto da ONU.

A Assembleia Geral da ONU também elegeu outros 17 países para o ECOSOC, nomeadamente, Quénia (184 votos), Etiópia (183), Egipto (178),  Mali (182), Turquemenistão (181), Irão (175), Paquistão (175), Arábia Saudita (170), Brasil (177), Jamaica (175), Paraguai (174), Arménia (177), Ucrânia (176), Canadá (174), Luxemburgo (174), Holanda (169) e Estados Unidos da América (159).

Os membros agora eleitos vão ocupar as vagas dos cessantes África do Sul, Argélia, Nigéria, Rwanda, Somália (África); Afeganistão, Iraque, Líbano e Vietname (Ásia e Pacífico); Chile, Peru e Guiana (GRULAC); República Checa e Moldávia (Europa do Leste); e Bélgica, Canadá (reeleito), EUA (reeleito) e Itália (Europa Ocidental e Outros Estados).

O ECOSOC é composto por 54 membros e os assentos são distribuídos com base na representação geográfica, mormente 14 para os Estados africanos, 13 atribuídos a Europa Ocidental e outros Estados, 11 a Ásia e Pacífico, 10 a América Latina e Caraíbas e seis a Europa do Leste.

COMPARTILHE