Greve dos enfermeiros de Luanda cancelada

Os enfermeiros que aumentaram o seu nível académico e profissional vão ter prioridade nos próximos concursos públicos.

54
COMPARTILHE

O Sindicato dos Técnicos de Enfermagem de Luanda anunciou esta quarta-feira, dia 13 de Junho, o fim da greve que decorria desde segunda-feira, em Luanda depois de ter conseguido chegar a acordo com o governo provincial, que prometeu resolver 90% das reivindicações.

O secretário-geral do Sindicato dos Técnicos de Enfermagem de Luanda, António Afonso Kileba, revelou à Lusa conseguiram o que queriam em relação à abertura de um concurso público interno, o pagamento de retroactivos bem como a promoção de categorias.

“Valeu a pena a nossa insistência, daquilo que nós vínhamos reivindicando entre 80% a 90% foram aceites e a comissão criada começa já a trabalhar a partir de sexta-feira, e estará presente o MAPTSS (Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social) que vai analisar as propostas”, referiu.

António Afonso Kileba acrescentou que a paralisação fica sem efeito e os enfermeiros em Luanda voltam a trabalhar normalmente já hoje quinta-feira, dia 14 de Junho, tanto nos postos, centros, hospitais municipais e provinciais de responsabilidade do Governo da Província de Luanda.

Enfermeiros que aumentaram nível académico vão ter prioridade nos concursos

Os enfermeiros que aumentaram o seu nível académico e profissional, de acordo com a avaliação do seu desempenho, poderão ser priorizados nos próximos concursos públicos. Está decisão vem expressa num comunicado conjunto do Governo Provincial e o Sindicato de Enfermeiros de Luanda (Sintenfl), que está a ser citado pela Angop.

O documento informa ainda que, quanto à promoção das carreiras, ficou o compromisso que logo haja quota financeira, o Sintenfl poderá ser chamado a participar no respectivo processo.

As partes acordaram ainda trabalhar regularmente com periodicidade trimestral para análise, acompanhamento e tratamentos das questões que afectam a classe de enfermagem, através de um grupo técnico constituído pelo GPL e uma comissão do Sintenfl.

Este foi o resultado de negociação de duraram mais de 9 horas e que foram orientados pelo governador provincial de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, na presença membros do seu pelouro, do secretário-geral do Sintenfl, Antonio Kileba, e representantes da UNTA- Comissão Sindical.

 

COMPARTILHE