APPO pretende aumentar quota de conteúdo local africano

A Organização dos Países Produtores de Petróleo Africanos (APPO) pretende atingir, até 2030, uma quota de 30 por cento nos serviços de conteúdo local prestados à indústria de petróleo e gás do continente africano, disse nesta terça-feira o director de marketing da África Local Content (ALC) Sérgio Silva.

53
COMPARTILHE

Actualmente, a cota de conteúdo local no continente africano está abaixo de 20 por cento e de acordo com o responsável que falava no último dia da 2ª conferência africana sobre conteúdo local na indústria de petróleo e gás, que decorre em Luanda.

Para o alcance desta meta, será criada um estatuto e uma plataforma de divulgação de informações sobre as preocupações e perspectivas dos países membros da APPO e a elaboração de um relatório com recomendações que serão dadas a todos os países africanos.

Na sua óptica, as políticas de contratação dos serviços de conteúdo local devem ser vistas como um acto de balanço e não obrigatórias, para que as companhias de petróleo e gás que operam num determinado país não se sintam obrigadas, mas impulsionadas.

Disse esperar que as experiências que estão a ser partilhadas nesta conferência ajudem a melhorar a actividade de conteúdo local em África e o fortalecimento na cooperação regional.

A realidade sobre o conteúdo local em África varia de país para país, daí ter dito que trabalhos do género devem ser constantes, para melhorar a actividade e a economia do continente.

Disse constar da proposta a realização da terceira conferência sobre conteúdo local em África em 2019 e na mesma data, para que em menos tempo se avalie a implementação das recomendações do encontro de 2018.

Na conferência, 19 empresas, maioritariamente nacionais, expuseram os seus produtos e serviços e manifestaram o interesse em melhorar a sua actividade e a prestação de serviços à indústria de petróleo e gás ao nível do continente africano.

COMPARTILHE