Coincidências? Não.

Até ao congresso extraordinário de Junho próximo, teremos um Ministério Público muito actuante.

118
COMPARTILHE

António Pedro, Director 

Nos últimos dez dias, o tema corrupção fez parte da agenda institucional. Quer no Executivo, quer no Judiciário e até no Legislativo a tónica foi a corrupção. Nos últimos dez dias, a directora Nacional do Serviço Nacional da Contratação Pública revelou, ao Jornal de Angola, que há actos de corrupção na contratação pública, os casos partiram de denúncias anónimas, decorre agora uma auditoria. Nos últimos dez dias, o líder da bancada parlamentar do MPLA, Américo Cuononoca, disse, perante os deputados na discussão e aprovação de diplomas legais, que o grupo parlamentar está alinhado com o presidente do partido no combate à corrupção e ao fim da impunidade.

Foi também nos últimos dez dias, que o Secretário de Estado adjunto do Departamento de Justiça dos EUA disse aos jornalistas, em Luanda, que o FBI vai ajudar na localização e recuperação de activos retirados ilegalmente do País, e que é também desejo dos Estados Unidos levar os corruptos à justiça e recuperar os activos retirados criminosamente de Angola e que estejam escondidos nos EUA ou em outras partes do mundo. Garantiu que o seu país tem investigadores e promotores que podem ajudar o Governo angolano na recuperação de activos. E foi ainda nos últimos dez dias, que os EUA anunciaram que vão enviar representantes do Departamento do Tesouro para trabalhar com o Executivo em questões que envolvam corrupção, lavagem de dinheiro e combate ao financiamento do terrorismo.

Os últimos dez dias, registaram factos impactantes sobre a corrupção. O ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queirós, esteve no Fórum Global de Combate à Corrupção e Integridade, em Paris, em representação do PR, e recebeu apoio da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) para o combate à corrupção. Os últimos dez dias colocaram o Bureau Político do MPLA a apreciar a versão do futuro Código de Ética Partidária, instrumento regulador do comportamento e postura dos militantes, quadros e dirigentes do Partido na sociedade.

O jogo de xadrez continua afinal em curso. Até ao congresso extraordinário de Junho próximo, teremos um Ministério Público muito actuante. Basta esperar, para vermos os próximos arguidos.

COMPARTILHE